Rio Sabor

Rio Sabor a montante da Ponte do Sardão.


A jusante da ponte fica o Santo Antão da Barca, agora submerso nas águas da nova barragem. Nós estivemos lá!


E foi um dia de muitas emoções.


(Foi construída uma cópia da capela de Santo Antão da Barca algumas cotas mais acima, mas as imitações nunca fazem os milagres que faziam os originais)


Conhecemos o Rio Sabor logo nos nossos inícios de Trás-os-Montes, vai para um quarto de século.


Desde Gamoneda, Montesinho, Fervenças, rio de Onor, Azibo, ribeira da Vilariça, até ao que agora chamam de três lagos.


Conhecemo-lo selvagem, agreste, violento, indomável, era inverno, e as águas saltavam rápidas e geladas, de Izeda a Lagoa. De Junqueira, onde se le junta o rio Maçãs. Depois do Vale da Vilariça até a belíssima Foz do Sabor, a entrar pelo Douro.


Era o nosso rio selvagem, com pontes onde só passava um carro, e que ficavam submersas no inverno transmontano.


Agora depois da construção da barragem, tem lagos turísticos, está domado.


Mas quando o queremos encontrar ainda selvagem igual a si próprio, ainda encontramos muitos caminhos por onde chegar ao nosso rio límpido, silencioso e completamente agreste e selvagem.


No último 22 de abril deste ano, conseguimos voltar a encontrar o caminho para o nosso selvagem Rio Sabor.


Fotos do Mundo Roselha Grande

Rio Sabor, vale de Santo Antão da Barca

29 outubro 2021

6 visualizações0 comentário